Conservação Corrente Rodoviária

As atividades de conservação corrente rodoviária consistem em intervenções que promovem a manutenção e conservação de todos os elementos e/ou componentes constituintes das vias e obras de arte existentes. Estão incluídas todas as atividades rotineiras de conservação, tanto de caráter curativo como preventivo, de forma a oferecer aos seus utentes melhores condições de conforto na circulação nos itinerários percorridos, e maiores condições de segurança rodoviária.

Conservação de Pavimentos

A conservação de pavimentos tem como objetivo principal promover uma estratégia de conservação, de forma a garantir ao utente condições de circulação e segurança rodoviária. Assim, a execução de trabalhos deverá responder ao descrito e contemplar reparações de degradações de todos os tipos, retendo ou contendo o seu avanço.

Estes trabalhos respeitam ao tratamento de degradações e à conservação da superfície betuminosa da zona da estrada (faixa de rodagem, bermas pavimentadas, pontes e viadutos, passeios e parques).

Saneamentos em Pavimentos Existentes

Saneamentos em pavimentos existentes incluindo escavação, remoção e transporte a destino final adequado dos produtos escavados e o preenchimento de acordo com o previsto no projeto.

Fresagens Pontuais de Pavimentos

Fresagens pontuais de pavimentos, incluindo o transporte a destino final adequado dos produtos fresados e o preenchimento de acordo com o previsto no projeto.

Tapagem de Covas

Consiste em preencher as cavidades existentes com misturas betuminosas.

Selagem de Fissuras

A selagem será feita fissura a fissura, através da aplicação de mastiques asfálticos, a quente ou a frio, de forma a não permitir a entrada de água para o seu interior.

Regularização e/ou Reperfilamento do Pavimento

Tem por objetivo regularizar e uniformizar o pavimento existente.

Tratamentos Superficiais

Os tratamentos superficiais são utilizados na reabilitação funcional dos pavimentos no sentido de lhes conferir melhores características superficiais, nomeadamente de aderência, e para a colmatação de fissuras/impermeabilização de superfícies degradadas.

Granalhagem de Pavimento Existente

O procedimento consiste na abrasão mecânica da superfície do pavimento por jato de granalha de aço para melhorar a macrotextura, através da limpeza dos detritos acumulados entre os agregados de maior dimensão e da criação de canais para o escoamento superficial da água. Este procedimento deve ainda melhorar a microtextura do pavimento, permitindo mobilizar um maior atrito entre o pneu e a estrada.

Trabalhos Específicos dos Pavimentos Rígidos

Os trabalhos serão executados pontualmente quando for observado à superfície do pavimento o aparecimento de degradações, e têm com o objetivo não apenas reabilitá-lo, bem como retardar a sua progressão.

Levantamento, reperfilamento e Reposição de Calçadas

Consiste no levantamento e reconstrução de pavimentos em cubos, tendo em vista o melhoramento das condições de regularidade e aderência existentes.

Regularização de Bermas e Valetas

As bermas são um elemento importante da estrada, tendo por objetivo conter e proteger a faixa de rodagem, favorecer o escoamento das águas, encaminhando-as facilmente para as valetas ou outros órgãos de drenagem e permitir ao utente poder parar em segurança se necessário. Para responder a estes objetivos é necessário conservar as suas secções transversais, as suas inclinações e manter a sua superfície regular e uniforme, procedendo à respetiva limpeza e regularização.

As bermas poderão ser pavimentadas ou não, atuando-se nas primeiras de forma análoga às atividades dos pavimentos, sempre que ocorram degradações na camada superficial. No caso de existir uma berma que, para além da zona pavimentada, tenha uma zona não pavimentada, constituída por solos selecionados, brita, cascalho, etc., serão tratadas as duas zonas de forma distinta ou conjunta, garantindo-se os objetivos pretendidos e nunca pondo em causa o escoamento livre e rápido das águas para as valetas.

Limpeza e Conservação de Orgãos de Drenagem

Sendo a água o pior inimigo da estrada, torna-se necessário que seja retirada do pavimento o mais rapidamente possível. Esta atividade é assim primordial, sobretudo para a boa conservação dos pavimentos. Desta forma, os órgãos de drenagem têm de se encontrar completamente desobstruídos, uma vez que qualquer material neles depositados, que trave o normal prosseguimento do escoamento, altera a capacidade de escoamento, e desvia por vezes o próprio caudal, com todas as suas consequências gravosas.

São considerados os trabalhos de limpeza dos diversos órgãos de drenagem revestidos que captam e conduzem as águas pluviais, diminuindo a possibilidade de erosão e instabilidade dos elementos confinantes e dos vários órgãos recetores dessas águas. Estes trabalhos são executados em valas, valetas de plataforma, (laterais ou em separadores), de banquetas, de crista e de pé de talude, e caleiras de descida de talude.

Limpeza de Valetas e Valas Revestidas

Estes trabalhos serão executados em valas de pé de talude e de crista, valetas de plataforma (laterais ou em separadores), de banqueta e caleiras de drenagem longitudinal do separador e de descida de talude.

Limpeza e Conservação de Outros Órgãos de Drenagem e Acessórios

Corresponde aos trabalhos de limpeza e desobstrução através da remoção de todos os obstáculos e resíduos, empregando a máquina mais adequada para o efeito ou utilizando ferramentas e trabalho manual, até à livre circulação das águas, cortando a vegetação conforme definido em cada caso, quando não inseridas em zonas de ceifas e corte de vegetação herbácea.

Limpeza e Conservação de Sistemas de Retenção/Tratamento

Estes trabalhos consistem na limpeza e desobstrução de todos os componentes constituintes, a gestão das lamas resultantes, incluindo a sua remoção e encaminhamento a destino final adequado conforme legislação vigente, a reparação, o fornecimento e substituição de componentes/materiais danificados, bem como a reposição da vegetação, nos sistemas em que o tratamento pressupõe a sua existência.

Reconstrução ou Construção de Novos Orgãos de Drenagem

Nesta atividade incluem-se todos os trabalhos de reconstrução e construção de novos órgãos de drenagem, nomeadamente valetas de plataforma, caixas de visita, aquedutos, etc.

Manutenção e Estabilização de Taludes

Esta atividade corresponde à manutenção de taludes, quer de escavação, quer de aterro, que apresentem degradações tais como: ravinamentos, erosões que denunciem a existência de águas não controladas, existência de materiais soltos que indiciem escorregamentos, ou partes de taludes escorregados. Os trabalhos contemplados dizem respeito à limpeza e retirada dos materiais sobrantes para fora do local e estabilização provisória da zona afetada.

Manutenção de Taludes

Nesta atividade incluem-se todos os trabalhos de regularização de taludes, remoção de materiais provenientes de escorregamentos, e remoção de materiais depositados em terrenos do Património Rodoviário.

Conservação de Rede de Vedação

A rede de vedação tem como finalidade principal demarcar fisicamente a zona da estrada e impossibilitar a entrada de pessoas e animais que poderão pôr em causa a segurança rodoviária. Este sistema de segurança deverá ser devidamente vigiado, de modo a poder cumprir cabalmente os fins para que foi construído, sendo reparado o mais rapidamente possível quando se encontre danificado.

Conservação de Obras de Arte e túneis

Os trabalhos aqui contemplados dizem respeito à conservação corrente das obras de arte (Pontes, Pontões, P.S. e P.I.) e cujo limite de execução corresponde ao limite dos muros na extensão da obra de arte.

Todas as situações que ultrapassem este âmbito mas que correspondam a trabalhos que se julguem necessários deverão ser, pela sua especificidade ou natureza técnica, resolvidos no âmbito de empreitadas específicas de reparação de obras de arte.

Conservação da Rede de Iluminação Publica

Os trabalhos dizem respeito à inspeção dos sistemas de iluminação, nomeadamente de postos de transformação (PT), e quadros elétricos (armários) de distribuição, com a sua consequente manutenção, por forma a ser garantido o normal funcionamento das infraestruturas elétricas viárias, e a execução de inspeções periódicas às infraestruturas elétricas de iluminação, tendo em vista o registo de anomalias nos sistemas e proceder-se à sua reparação, com a substituição de equipamentos danificados.

Atividades Ambientais

As atividades contempladas neste capítulo visam a manutenção das condições adequadas ao cumprimento das principais funcionalidades das vias e que se enquadram no âmbito da integração paisagística, nomeadamente: controlo da erosão hídrica e eólica dos taludes e estabilidade destes; manutenção dos sistemas de drenagem; valorização da estrada e da paisagem; valorização ecológica do meio envolvente; proteção das margens dos cursos de água situados nas proximidades da via; melhoria da qualidade do ar e melhoria das condições de segurança rodoviária e aumento do conforto para os utentes.

Os trabalhos de manutenção do âmbito da Integração Paisagística aplicam-se a toda a área do domínio rodoviário. Os trabalhos a realizar, neste âmbito, devem ser efetuados tendo em consideração a informação constante nas Telas Finais do Projeto de Integração Paisagística, caso existam, de modo a garantir a manutenção das características definidas para a estrada aquando da sua construção, embora, pontualmente, possa haver necessidade de realizar alguma retificação, de acordo com indicações específicas do Dono da Obra.

Sem prejuízo do referido, relativamente às operações de gestão dos resíduos vegetais, deverá atender-se ainda às orientações técnicas e disposições legais em vigor em matéria de proteção fitossanitária.

Em caso algum será permitida a realização de queimas na zona da estrada. Para além das atividades ao nível da integração paisagística pretende-se ainda, neste capítulo, salvaguardar a conservação das áreas de repouso, parques, miradouros e outras zonas de paragem, bem como, a conservação dos dispositivos de proteção acústica.

Atividades de Segurança

Nestes trabalhos está incluída a conservação da sinalização vertical, horizontal e de guardas de segurança.

Com esta atividade pretende-se que toda a sinalização existente esteja bem visível, legível, bem implantada e desempenhe cabalmente a sua função. Assim, e de forma a se possuírem itinerários agradáveis e, sobretudo, com boas características funcionais, dever-se-ão executar estas atividades na continuidade das limpezas, por forma a que a sinalização contemple as características já referidas.

Obras de Contenção

A presente atividade refere-se à execução de muros de suporte, de vedação e paredes, guarda corpos, muros de ala de aquedutos, pontes e pontões. Inclui-se o fornecimento de todos os materiais e acessórios necessários designadamente, pedra para alvenarias, betão ciclópico ou enchimento de gabiões, betão e aço para armaduras, cofragens, cavaletes ou escoramentos para sustentação, estruturas e armaduras para gabiões, dispositivos de drenagem, no tardoz, etc.

Deverão ser utilizados os equipamentos mais apropriados às boas técnicas construtivas, e o transporte dos materiais sobrantes deverá ter destino final adequado. Em principio a execução das estruturas de contenção deverá dar continuidade ao tipo das existentes, se for esse o caso, e serem apenas alteradas se tecnicamente forem mais aconselhadas. As características dos materiais a utilizar são as definidas no Caderno de Encargos da Obra.

Atividades invernais

Neste grupo de atividades, incluem-se todas as atividades de deteção, prevenção, tratamento e/ou remoção de gelo e neve, que são essenciais para a manutenção das vias em condições de circulação e segurança rodoviária.

Inventários

Complementarmente, mas integrada no mesmo âmbito da Conservação Corrente, inclui-se o desenvolvimento de atividades de Inventário de Equipamentos da Via com base em aplicações informáticas desenvolvidas para o efeito.

Atividades de Operação, Fiscalização e Assistência

Estes trabalhos correspondem ao desenvolvimento de atividades tanto no âmbito da fiscalização da rede como da assistência aos utentes, através do patrulhamento das autoestradas, 24 horas por dia, por UMIA –Unidades Moveis de Inspeção e Assistência, e a reposição das condições normais de circulação na autoestrada, através da BI – Brigada de Intervenção.